Escavar Conteúdo

A carregar...

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A VOLTA DO DINOSSAURO GENESIS!!!

Sim, sei que temos estado muito inactivos mas isso PÁRA POR AQUI! O dinossauro Genesis está de volta... com o quê? Não sabemos! Irá descobrir em breve.

Por agora, fique com esta imagem  de um par de Acrocanthosaurus na caçada.

File:Acrocantosaurus4.jpg

O que será que irá cair no blogue nessa volta do Dinossauro Genesis? Irá o blogue ser renomeado e refeito? VEREMOS!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Irritator







Irritator (Irritator challengeri) é o nome do dinossauro que iremos tratar nesta postagem, uma postagem que pode ser encarada como uma postagem de volta aos assuntos paleontológicos.

O Irritator tinha madíbulas semelhantes  às dos crocodilos, cheias de dentes com a forma de ganchos, perfeitos para agarrar peixes.

A espécime Irritator challengeri deve o seu nome a dois amadores na área da paleontologia, que restauraram o focinho do esqueleto que acharam com gesso, o que irritou os cientistas, tendo por isso ganho o nome de Irritator.

Quando foi descoberto, apenas o crânio do Irritator foi descoberto, no entanto, os cientistas conseguiram prever mais ou menos como seria o dinossauro, com base na familia Spinossauridae, a qual este dinossauro claramente pertencia.



O Irritator seria então, parecido com o Baryonyx, mais do que com o Spinosaurus. Sabe-se que este predador viveu na América do Sul e que a sua dieta era, maioritariamente, peixe, tal como a família dos espinossaurídeos.


Tendo vivido mais precisamente no Brasil, o Irritator deverá ter pisado a terra à cerca de 110 milhões de anos atrás, mais precisamente no Albiano, durante o início do Cretáceo. Como foi referido, o Irritator challengeri pertence à família Spinosauridae, à qual pertenciam vários dos dinossauros mais famosos do mundo, como o Spinosaurus aegyptiacus, o maior terópode (carnívoro) do mundo, como o Oxalaia quilombensis, recentemente descobrido, cujas previsões apontam para que fosse o segundo maior terópode do mundo, inclusive batendo o famoso Tyrannossaurus ou o Giganotosaurus em tamanho, o Suchomimus tenerensis ou o Baryonyx, ou seja, como pode ver, uma família de grandes dinossauros, tanto em tamanho, como em fama.

O Irritator foi descoberto em 1996 por Cruickshank, Martill, Frey, Small e Clarke, aliás, estes foram os cientistas que recuperaram os fósseis do espécimen descoberto, pois na verdade, foram duas pessoas não relacionadas com paleontologia a descobri-lo, os seres desta espécie deviam medir, em tamanho máximo, 8 metros de comprimento e 3 de altura. O Irritator challengeri está ligado a outra espécie, também da família Spinosauridae, o Angaturama limai. Apenas uma parte dos ossos do crânio do Angaturama foram descobertos, e curiosamente essa parte de ossos completa o crânio do Irritator, pelo que se pensa que Irritator e Angaturama são a mesma espécie, até porque viveram na mesma área e período.

O Irritator também poderia, eventualmente, caçar pterodáctilos ou outros animais voadores, pelo que muitas vezes é relacionado com esses mesmos animais. Os únicos restos do Irritator foram descobertos no Brasil e foram ilegalmente vendidos, visto que é proibida a venda de fósseis no Brasil, tendo sido muito difícil a sua recuperação. Incrivelmente  este é o crânio mais completo que existe de um espinossaurídeo, não confunda com o esqueleto completo de Spinosaurus aegyptiacus, que foi destruído durante a segunda guerra mundial, que também tinha um crânio intacto, pois esse foi destruído.

File:Irritatorscale1.png
Comparação em tamanho com um humano
Foi em 1996, na formação de Santana, que o protótipo SMNS 58022 foi primeiramente relatado. Nos dias de hoje, os restos de Irritator achados encontram-se no museu "Stuttgart State Museum of the Natural Sciences". Curiosamente, o Irritator foi achado na formação de Santana, no Brasil, o mesmo sítio que um Angaturama limai com 60% de todo o esqueleto foi achado e descrito em Fevereiro de 1996. Na mesma formação de fósseis, foi achado um esqueleto de um pterrossauro com um dente de Angaturama nele, mostrando que de facto, os espinossaurídeos eram predadores, em relação a alguns animais, no entanto, esse dente consegue se assimilar perfeitamente com um Irritator, pelo que inclusive há cientistas que acreditam que o esqueleto achado de Angaturama e o crânio de Irritator pertence ao mesmo indivíduo. Muitas fontes acreditam tratar-se mesmo da mesma espécie. Para os mais curiosos, se se confirmar de que Angaturama e Irritator são a mesma espécie, então provavelmente Angaturama limai desapareceria, ficando Irritator challengeri como o nome dessa espécie, pois é um nome científico válido, em vários sentidos.

Em 2004, mais recentemente, foram achados restos de uma coluna vertebral na formação de Santana, restos que foram, mais tarde, associados a um membro da família Spinosauridae, provavelmente a um Irritator, pois é o único espinossaurídeo que é bem conhecido, desta formação.

Apesar de se assemelhar mais a um Baryonyx ou a um Suchomimus, pelos hábitos do Irritator, este foi descrito como sendo da sub-família Spinosauridae, a qual pertencia já o conhecido Spinosaurus aegyptiacus. A família Spinosauridae divide-se em duas famílias: Spinosauridae e Baryonychinae. À primeira pertencem por exemplo, o Irritator e o Spinosaurus, enquanto à segunda pertencem, entre outros, o Baryonyx e o Suchomimus.

Ficha técnica:

Nome: Irritator
Data: -110 Milhões de Anos (Cretáceo Inferior)
Jazidas de Fósseis: América do Sul
Comprimento: 8 metros
Dieta: Peixe e ocasionalmente animais voadores
Habitat: Pântanos

INFORMAÇÃO ADICIONAL: Não se esqueça de votar na barra lateral direita acerca do próximo projecto do blogue! Seu voto é precioso!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

NOVO PROJECTO DO BLOGUE: Jurassic Park : Operation Genesis - Escolha você!

Agora, que o projecto escrito, o primeiro de sempre em português na internet, foi cancelado , após tantos meses de paragem , e para enquadrar com as 100 000 visitas, estamos começando um novo projecto, um projecto que vem para ficar e para ser realmente terminado, no entanto, precisamos da sua ajuda, pois, afinal, trabalhamos para os visitantes, e queremos dar aos visitantes o que eles querem.

Assim, para o projeto do blogue, estaremos deixando aqui algumas opções de escolha, no entanto, poderá adicionar as opções que queira, comentando esta postagem.

O projecto terá de incluir o Jurassic Park : Operation Genesis, muito provavelmente o jogo mais próximo à trilogia Jurassic Park
Desta vez, os projectos em vídeo, se for escolhido um projecto em vídeo, será em português!
Opções:


  • Dinossauro Genesis : Prehistoric Park

            1. Escrito / Imagens

Quem não assistiu ao incrível Prehistoric Park ou Parque Prehistórico em Português? A incrível série em que Nigel viajava no tempo, por um portal do tempo, e trazia de volta espécies que já se extinguiram, entre elas, os dinossauros? Uma das opções de votação na enquete é um projecto semelhante, mas escrito.


            1. Em vídeo
A segunda opção é o mesmo assunto, o Prehistoric Park, mas em vídeo, algo que é, claramente, muito mais interessante. Se escolhido, a personagem viajará para trás no tempo até várias eras, desde o Triásico até ao Cretáceo, resgatando várias espécies de dinossauro e trazendo-as para a vida real, para um parque, uma reserva natural.

Se prefere uma destas opções, vote na enquete! E se Prehistoric Park estivesse de volta, feito no JP:OG, e em português?

Um dos episódios de Prehistoric Park, a série que foi para o ar à alguns anos atrás, na vida real:


  • Dinossauro Genesis: O regresso à Ilha Nublar
            • 1ª Parte: Escrita, 2ª Parte em Vídeo

Basicamente, esse projecto estaria dividido em duas partes: uma primeira parte, escrita e com imagens, a reconstrução da Isla Nublar, o capturamento de dinossauros da Isla Sorna, entre outros, e uma segunda parte, em que seria tipo um filme, de uma volta de John Hammond e seus sonhos loucos,enfim, de Jurassic Park. Não há muito mais que dizer nesse projecto, senão mesmo o que referi.


  • Dinossauro Genesis: Novo Sangue
            1. Escrito / Em Imagens
Basicamente, um recomeço do velho projecto.

            1. Em vídeo
O mesmo, mas em vídeo.

A decisão está nas suas mãos! Vote na enquete ao lado. Pode também sugerir aqui ao comentar.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Jurassic Park 4 confirmado a 13 de Junho de 2014!



Um bom sinal da produção de um filme, é quando sai uma data oficial. Jurassic Park IV já tem uma data prevista de lançamento, a 13 de Junho de 2014, nos Estados Unidos da América, esta data foi confirmada no final de Janeiro de 2013, de este ano.


Segundo Steven Spielberg, Jurassic Park IV vai levar-nos para um sítio nunca antes visto ou explorado, tendo o próprio assumidoque não há maneira de voltar àquela ilha, pois seria estúpido voltarà Isla Nublar ou à Ista Sorna, que já foram bem exploradas em Jurassic Park I, Jurassic Park : O Mundo Perdido e Jurassic Park III. Jurassic Park IV não se dará numa cidade, segundo Steven Sipelberg, irá mesmo levar-nos aonde nenhum dos ptrês filmes nos levou até agora. Além disso, muitos rumores foram lançados, os primeiros que diziam que Jurassic Park IV chamar-se-ia "Jurassic Park IV: A extinção", sendo o final desta saga, da saga dos dinossauros. No entanto, recentemente , pessoas ligadas ao projecto vieram ao público afirmar que Jurassic Park IV seria o início de uma nova história, de uma nova trilogia.
Há rumores que, com Jurassic Park IV em 2014, um suposto Jurassic Park V (5) deve seguir-se, em 2017.

Sam Neil (Alan Grant) em Jurassic Park ///
Acerca dos autores, não há grandes informações, mas desconfia-se que Sam Neil (Alan Grant), Jeff Goldblum (Ian Malcolm), Laura Dern (Ellie Sattler) ou Richard Attenborough (John Hammond) poderão estar de volta, ou pelo menos alguns destes.

Estaremos atentos a mais desenvolvimentos.

Não se esqueça de curtir / colocar gosto na nossa página de facebook: http://www.facebook.com/pages/Dinossauro-Genesis/265596750240251?ref=hl

Dinossauro Genesis já no Facebook!

Uma página que você tem de curtir / gostar:
http://www.facebook.com/pages/Dinossauro-Genesis/265596750240251?ref=hl

Acompanhe-nos no blogue e no facebook!

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Dinossauro Genesis está de volta!



Depois de um longo, longuíssimo período de inactividade de quase sete (7) meses sem uma postagem decente, tendo apenas uma postagem em sete meses, avisando da inactividade, estamos felizes por afirmar que o maior blogue português de dinossauros, está de volta!

Portugal, com alguns blogues de dinossauros, tem sido paleontológicamente dominado pelo Dinossauro Genesis nos últimos dois anos, pelo que inclusive, este blogue é um dos mais procurados no motor de busca de Portugal:



Agora, a cerca de 300 visitas de distância para as 100 000 visitas, o Dinossauro Genesis está de volta, com boas e más notícias:
Boas notícias:

  •  Habituou-se às antigas posts do blogue, que vinham com frequência acerca de um certo dinossauro, uma post grande e informativa sobre essa espécie? Bem, como um bom blogue de dinossauros, essas posts estão de volta! Veja um exemplo: http://dinossaurogenesis.blogspot.pt/2012/04/brachylophosaurus.html (Sim, a última dessas posts foi postada em Abril de 2012!)
  • O blogue será renovado em vários aspectos, como na barra lateral direita ou a mudança da principal foto, a foto de cabeçalho.
  • O resto, terá de esperar para ver
Más notícias:

  • O projecto escrito (e o de vídeo) foram cancelados, pois na verdade, decidimos fazer algo mais voltado para o público do Dinossauro Genesis. O Dinossauro Genesis foi o primeiro blogue de língua portuguesa (Portugal, Brasil, etc...) a ter um projecto escrito, e foi mesmo o DG que instaurou esta nova política, agora seguida por vários blogues. 
Obrigado a todos e podem continuar a visitar-nos, o Dinossauro Genesis está de volta!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Blogue em inactividade

O Dinossauro Genesis está a atravessar um longo período de inactividade pelo que pedimos desculpa. O tempo tem estado completamente ocupado, mas prometemos voltar em breve com algumas posts.

Obrigado.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Seria possível transformar Jurassic Park em realidade?



Quando o primeiro dos filmes de Jurassic Park foi lançado, em 1993, houve um sucesso absoluto. A ideia de clonar dinossauros, e fazê-los conviver em nosso tempo, esteve no imaginário de milhões de espectadores. Mas a primeira coisa que você deve ter ouvido falar sobre a obra de Steven Spielberg (baseada no livro de Michael Crichton), é que se tratava definitivamente de ficção. Que não era realmente possível clonar um dinossauro. Mas será que isso se tornará viável algum dia?
A resposta atual dos cientistas é: em parte. Recriar dinossauros, exatamente como eram, continua sendo impossível. Isso porque o processo descrito por Crichton na ficção envolve usos de um DNA que não existe mais em sua forma original. O que se fez, no livro e no filme, foi achar um mosquito da época dos dinossauros, conservado em resina, extrair sangue de dinossauro da barriga do inseto, inseri-lo em um embrião de crocodilo, e zás! Um dinossauro nascia.
O problema é com o material genético. O DNA, infelizmente, não está imune à ação do tempo. A cadeia de cromossomos de um dinossauro, segundo os cálculos, duraria intacta por cerca de 500 mil anos, não muito mais do que isso. E já se vão 65 milhões de anos desde que os últimos dinossauros habitaram a Terra. Ou seja, não sobrou nenhum DNA de dinossauro para contar a história.
Jack Horner, paleontólogo americano que trabalhou no enredo dos filmes de Jurassic Park, fala sobre o problema. Ele cita que já se encontrou, em 2005, um tecido mole (responsável pela elasticidade das escamas) de Tiranossauro Rex, mas não havia material genético a ser coletado, apenas outras biomoléculas.
Mesmo que fosse possível encontrar DNA intacto de dinossauro, no entanto, a chance de reviver os répteis seria mínima. Isso porque seriam encontrados apenas fragmentos de DNA, possivelmente fora de sequência dentro da cadeia de cromossomos. E não há nenhum indício de como seria “remontar” o DNA de um dinossauro.
Tomando isso como impossível, vamos à opção viável. Você já deve ter ouvido falar que alguns animais, como a galinha, têm descendentes diretos da época dos dinossauros. A ideia, portanto, seria trabalhar com o DNA da galinha, que já está totalmente codificado. A partir dele, segundo os especialistas, seria possível criar galinhas com dentes, cauda, escamas, membros superiores, enfim, uma espécie de “dino-galinha”.
O primeiro indício de tal pesquisa veio em 2005. Dois pesquisadores americanos, da Universidade do Wisconsin, observaram vestígios de dente de crocodilo em uma galinha geneticamente modificada. Tais galinhas possuíam um gene, recessivo, que matava os fetos antes deles nascerem, por isso não vemos galinhas com dentes por aí. No caso das galinhas mutantes, no entanto, esse gene foi substituído em algum ponto da história evolutiva de 70 milhões de anos dessa ave.
Esse novo gene seria o responsável por dentes de crocodilo. E os dois cientistas de Wisconsin criaram um vírus que simula essa situação. Quando o vírus foi inserido em um embrião de galinha, cresceram dentes. Usando esse método, portanto, galinhas com dentes de crocodilo poderiam se reproduzir.
Outra experiência, da Universidade McGill (Montreal, Canadá), tomou outro caminho. Sabendo que um embrião de galinha conserva, durante certo tempo, uma cauda (que depois desaparece) eles conseguiram evitar que a cauda sumisse usando hormônios de crescimento. Com esse mesmo método, as asas da galinha poderiam se converter em membros superiores de réptil.
A criação efetiva de um “dino-galinha”, no entanto, ainda deve levar alguns anos. A razão para isso, segundo os cientistas, é simples: em um mundo no qual ainda não se conhece a cura para o cancro, pesquisas para recriar dinossauros ainda não conseguem muito suporte financeiro para se desenvolver. Por enquanto, ficamos apenas com a ficção de Spielberg nas telas.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Nova descoberta mostra que penas eram comuns em dinossauros: Sciurumimus é o dinossauro mais recente descoberto!

Esqueleto de Sciurumimus tal como encontrado numa escavação de calcário


Sciurumimus albersdoeferi , como foi apelidado é a mais recente descoberta no mundo paleontológico. O dinossauro foi descoberto numa escavação de calcário e a sua descoberta mostra que as penas afinal, podem ter sido mesmo comuns em dinossauros.

Cientistas afirmam que esta descoberta traz uma nova linagem de terópodes, sendo os ancestrais de pássaros e sugerem que todos os terópodes tinham penas, e talvez alguns outros dinossauros. Este terópode é o único dinossauro carnívoro que não tem uma ligação direta com as aves, em alguma parte.

O fóssil traz algumas marcas de pele (amarelo)
Sabe-se que antes , pensava-se que apenas dinossauros da família dos Coelurossauros, um grande grupo de terópodes que inclui o famoso Tyrannosaurus Rex, mas, na verdade, a descoberta do Sciurumimus veio mudar tudo! Na verdade, este "novo" terópode trata-se de um... Megalossauro, ou seja, pertence à família dos Megalossaurus, que inclui famosos dinossauros como o Carcharadontosaurus ou Giganotosaurus.

A descoberta indica que o Scriurumimus fica numa posição base na árvore genealógica dos terópodes, vivendo antes de muitos famosos dinossauros, indicando assim que, todos os terópodes tinham penas.

O fóssil é de um jovem Sciurumimus, provavelmente em suas idades ainda mais "verdes", de pouca idade . Encontrado no norte de Baviera preserva vestígios de uma pele filamentosa. Este dinossauro, encontrado em Baviera ( Alemanha ) faz parte do mais completo esqueleto de um predador encontrado na Europa até aos dias de hoje. 

Pensa-se que as penas começaram a desenvolver-se anteriormente aos dinossauros, no tempo dos seus ancestrais.


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Gravações de WWMC começam brevemente!

O projecto WWMC (Walking with Mesozoic Creatures) deve começar as gravações em breve.

A cada episódio haverá o episódio inglês, e  o episódio em português, dados os resultados "negativos" da enquete acerca do projeto vídeo, sendo que haviam muitos votos contra a língua inglesa, haverão mesmo dois episódios, com as mesmas cenas, um em português e outro em inglês.

O nome do projecto poderá ser mudado, pois há um plano na cabeça do realizador (eu) que planeja fazer um tipo de história em que as ou a personagem irá ao passado visitar e ver alguns dinossauros, em que a ideia do personagem que estará no passado será: Trazer dinossauros para o parque, e criar uma espécie de reserva natural, sem visitantes, e com jaulas gigantes.

Aguarde desse lado!

 - Mário Camacho, administrador do Dinossauro Genesis

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Jurassic Park IV : 2013 ?



Main logo.gif
Rumores correm e correm, mas a verdade é que cá no blogue não foi noticiado, mas este ano, Steven Spielberg anunciou que já não era diretor, mas sim produtor.

Agora os leitores estarão se perguntando : Mas que novidade não ?
Antes a data para o lançamento estava prevista para 2015, mas está agora prevista para 2013, e em 3-D.

De relembrar que Jurassic Park IV irá levar os fans da série para locais nunca antes explorados, e que os personagens não serão levados para nenhuma das ilhas, pois segundo Joe Johnston, seria impossível levá-los de novo à ilha por uma quarta vez e fazer sentido, aliás, Joe propriamente disse que só estava a trabalhar, porque não há ida à ilha, pois se alguém insistisse que a ida à ilha era obrigatória, se demitiria.

Sabe-se que actores clássicos da série, como Sam Neil, Laura Dern, Jeff Goldblum e Richard Attenborough foram convidados, sendo que Sam Neil parece ter aceite o convite, e Jeff Goldblum mostrou interesse em realizar um 4º filme.

2013 : Será esta mesmo a data de lançamento do Jurassic Park IV (4) ?? Um ano depois da realização do Jurassic Park /// (3), em 2002, foi dito que estavam a trabalhar no filme e que tinham data de lançamento prevista para 2005, no entanto desde 2005 que o prazo tem sido alargado, mais recentemente tendo sido dito que o prazo era de 2012 (2012 é mesmo a data que é mais comum de se ver pela internet), mas algo que a Universal Studios já desmentiu.

Houveram rumores que a placa de filmes da Universal Studios era montagem (ver foto ao lado), mas a TPAMagazine contou uma história de uma senhora que levou o filho à Universal Studios, tendo confirmado que a placa era mesmo real. no entanto, a Universal Studios disse que não estavam em gravações, apesar da placa o dizer.

Foi descoberta uma grande "televisão azul" na Universal Studios: Será que Jurassic Park 4 estará mesmo a ser produzido por detrás de tal silhueta ?

JPIV shooting.jpg

Disse Joe Johnston ainda, que Jurassic Park IV era o primeiro filme de uma nova trilogia, podendo possivelmente conter Jurassic Park V e Jurassic Park VI. (5 e 6)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Dinossauro Genesis representado na Alemanha

O Dinossauro Genesis estará nos próximos dias 16, 17 e 18 de Abril representado na Alemanha em uma feira internacional de blogues, que acontece anualmente.

Mário Camacho, director do blogue gostava muito de agradecer a Mark Kolsen, um seguidor atento do blogue, por nos divulgar, com um cartaz, e inclusive com computadores conectados via wi-fi à versão inglesa do blogue, traduzida, que estará disponível para qualquer um cá no blogue em breve.

O Dinossauro Genesis entra na 14ª Edição da Feira Anual de Blogues da Alemanha e do Mundo, realizada uma vez por ano em Bamberg, Alemanha.

O blogue entra assim pela primeira vez da feira por várias razões. "O Dinossauro Genesis trouxe uma nova iniciativa aos blogues. Foi um dos primeiros blogues mundiais a aparecer com projecto escrito acerca do que se trata o blogue, e foi mesmo o primeiro a aparecer com esse tal projecto em Portugal, e um dos primeiros em países que falam a língua portuguesa. Basta olhar as visitas do blogue. Se antes do projecto, diariamente o Dinossauro Genesis recebia cerca de 100 visitas por dia, agora recebe cerca de 200 por dia, e mais de 400 em dias que outro capítulo do projecto é publicado. Desde que se fala do projecto que as visitas dispararam e isso reflecte-se numa subida em cerca de 95% nas visitas".

"Sem dúvida que merece, pelo elevado número de visitas, e além disso, pela qualidade. É sem dúvida o melhor blogue de dinossauros em Portugal" - Afirmou Mark Kolsen. "Se alguém duvida disso então deverá ver o crescimento do blogue nos últimos meses, desde Agosto do ano passado" - acrescentou.

Sem dúvida que me enche de orgulho ouvir estas notícias, e que me dá força para continuar seguindo em frente!
Obrigado a todos!

segunda-feira, 9 de abril de 2012

WWMC - Walking With Mezosoic Creatures - Dinossauro Genesis tem novo projecto!

Calma! O projecto escrito vai continuar a ser escrito e publicado. Apenas, agora, para trazer ainda mais adrenalina ao blogue, o Dinossauro Genesis irá produzir, em Inglês, uma série que terá como conteúdo documentários que o levarão para o passado, no tempo em que os dinossauros caminhavam imponentemente sobre a terra. O primeiro episódio levá-lo-à para as florestas do Jurássico onde hoje é a América do Norte.
A série chama-se WWMC, ou seja, Walking With Mezosoic Creatures.

Os episódios serão postados aqui conforme são produzidos. Vale lembrar que o 4º capítulo da série "Isla Tacanto" já está a ser produzido ao mesmo tempo. O Vídeo abaixo mostra todos os dinossauros que aparecerão no primeiro episódio desta série:


sábado, 7 de abril de 2012

Yutyrannus - Parente do conhecido T-Rex é o maior animal de penas que alguma vez andou na terra

Yutyrannus  Dr Brian Choo

Yutyrannus. Assim se chama a mais recente descoberta no mundo paleontológico que aparentemente possuía penas. As descobertas incluem algumas penas, e indicam que o Yutyrannus é mesmo o maior animal de penas a alguma vez pisar na Terra.

O Yutyrannus viveu à cerca de 125 milhões de anos atrás, no Início do Cretáceo, e pesava 1,400 kg.

A espécie foi identificada por três fósseis descobertos no nordeste da China, e assim permite obter algumas informações mais acerca da evolução do T-Rex, demonstrando que este parente poderá ser uma espécie de pré-Tyrannosaurus, ou seja, há possibilidades do Tyrannosaurus Rex ter evoluído destes dinossauros.

O Tyrannosaurus viveu à 65 milhões de anos atrás, ou seja, 60 milhões de anos depois do Yutyrannus, no entanto, os seus parentes são relativamente mais pequenos.
Os cientistas chineses responsáveis pela descoberta afirmam que estes dinossauros serão um exemplo de espécime de quando os Tyrannosaurídeos apareceram, sendo uma das primeiras espécies do género a pisar a terra. O Yutyrannus será então, o início da evolução deste grupo.

Yutyrannus  Dr Brian Choo

Os fósseis descobertos incluem um adulto de 1 tonelada e meia de peso e dois juvenis com meia tonelada de peso. O nome Yutyrannus huali significa "bonito lagarto de penas" e partilha algumas características com o Tyrannosaurus, à excepção que o Tyrannosaurus possuía 2 dedos nas patas dianteiras, o Yutyrannus possuía três. Os cientistas acreditam que as penas serviriam para isolação do corpo, ou seja, para aquecê-lo, por exemplo. Xu Wing foi o responsável pela descoberta. Estima-se que o dinossauro medisse 9 metros de comprimento.

Ficha técnica:

Nome: Yutyrannus
Data: -125 milhões de anos (Cretáceo Inferior)
Jazidas de fósseis: China
Comprimento: 9 metros
Dieta: Carne
Habitat: Habitats frios (estimação)

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Brachylophosaurus



Informação adicional: O Dinossauro Genesis esteve inactivo durante cerca de 2 meses e meio mas está agora de volta para ficar. A explicação é : motivos internéticos. 



O Brachylophosaurus canadensis foi um dinossauro herbívoro que se suponhava que podia virar bí-pede se necessário, ou seja, poderia deslocar-se apenas nas patas traseiras, tal como o Edmontosaurus regalis, uma espécie diferente, bem conhecida internacionalmente. Media 7,5 metros de comprimento, 3,7 de altura e o peso é desconhecido.


O Brachylophosaurus foi um tipo de hadrossauro, pertencente à mesma classe que o conhecido Parasaurolophus, por exemplo. De referir que Brachylophosaurus canadensis significa lagarto de crista pequena.O animal viveu onde é agora a América do Norte, à cerca de 76,5 milhões de anos atrás. O Brachylophosaurus é conhecido por vários esqueletos e ossos achados na formação de Judith River, no norte da América portanto.


 Este animal é notável pela sua crista óssea, que forma uma superfície plana. Alguns indivíduos tinham cristas que cobriam quase toda a parte superior do crânio, enquanto outros tinham cristas mais curtas, mais estreitas. Alguns pesquisadores sugeriram que este detalhe foi usado para competições, sendo que os indivíduos em questão empurravam-se um ao outro, no entanto, certos factos desfocam esta teoria, visto que a crista pode não ter sido tão forte para isso. Outras características notáveis são os membros anteriores estarem anormalmente longos, demasiado portanto, e o bico do maxilar superior é maior do que o de outros hadrossauros contemporâneos. 


O Brachylophosaurus canadensis foi descoberto em 1953 por Sternberg, mas foi mais tarde, em 2003, que se descobriu vários fósseis com tumores malignos, que poderão ter sido causados por fortes fatores ambientais ou propulsão genética. A descoberta de 1953 continha o crânio e esqueleto parcial que havia sido encontrado já em 1936, tendo sido apenas descrita em 1953. No ano em que estes vestígios foram descobertas, pensou-se pertencer a um Gruposaurus (ou Kritosaurus, tal como era conhecido na época). Este permaneceu o só espécime descrito até aos anos 80, quando Jack Horner descreveu um Brachylophosaurus goodwini (actualmente outra espécie dentro do género dos Brachylophosaurus). Esta espécie foi encontrada na formação de Judith River, em Montana. Mais tarde indicou que as diferenças não eram provavelmente o suficiente para justificar a segunda espécie, e que algumas das diferenças percebidas foram devido a um osso do crânio desorientado, fora do lugar em que o mesmo se encontrava na "canadensis". Brachylophosaurus tornou-se posteriormente mais conhecido a partir de fósseis encontradas em Montana, Alberta, na mesma, Canadensis continuou no seu nome. Em 1994 o paleontólogo amador Nate Murphy descobriu um esqueleto de Brachylophosaurus impecável, intacto, sem nada esmagado, a que foi apelidado de "Elvis". Esta foi a descoberta mais impressionante da espécie, à frente de Murphy, que foi descoberto anteriormente, por uma equipa do Judith Dinosaur Institute. Em 2000, Leonardo, um esqueleto articulado e parcialmente mumificado, esqueleto de um indivíduo sub-adulto, foi descoberto. É considerado um dos dinossauros mais espectaculares de sempre, entre os encontrados e foi incluído no Guiness Book of World Records. Posteriormente foi descoberta "Roberta", um esqueleto quase completo grácil, um jovem parcialmente preservado com algumas impressões de pele. Em Maio de 2008, Steven Cowan, coordenador de relações públicas no Museu de Houston de Ciência Natural, descobriu um esqueleto de Brachylophosaurus posteriormente apelidado de "Marco", descoberto na mesma área que Leonardo tivera sido descoberto.

Um dos hadrossauros menos comuns na formação "Dinosaur Park" de Dinosaur Provincial Park, onde estão representados restos mortais de indivíduos que morreram durante a migração através da região. Eles provavelmente viveram num habitat denso, onde podiam fazer os seus ninhos e ter alimento.

Ficha técnica:

Nome: Brachylophosaurus
Data: -76,5 milhões de anos (Cretáceo Superior)
Jazidas de fósseis: América do Norte
Comprimento: 7,5 metros
Dieta: Plantas
Habitat: Florestas densas

domingo, 8 de janeiro de 2012

Jurassic Park: Isla Tacanto I - 3º Capítulo

Se não leu o 2º capítulo carregue aqui.
Se não leu o 1º capítulo carregue aqui.

Em sono profundo, o Acrocanthosaurus tinha sido sedado, no entanto, John Hammond preparava um plano para tentar resgatar John Harnold, que havia ficado no parque em ruínas abandonado, da Isla Nublar. No entanto, Robert Muldoon afirmou que provavelmente Harnold teria sido caçado por Velociraptors. Mas, Muldoon foi chamado por John Harnold ao centro de visitantes. 


John Hammond afirmou : "Chamei-o aqui porque o vou promover. Vejo que tem talento para ser o meu sucessor um dia que me retire. Tenho muitos planos na minha mente, mas hoje, cientistas visitarão o parque, e quero que os guie. No entanto vamos ao meu escritório onde podemos estar mais à vontade."


Já no escritório, a conversa teve o tema "John Harnold". Muldoon voltou a lamentar-se e a culpar-se por não o ter procurado por mais tempo, simplesmente Velociraptors são criaturas muito inteligentes e astutas - referiu. Ainda Muldoon acrescentou: "Se há alguma chance de ter um plano para o resgatar, sugiro que seja rápido. O centro de visitantes de lá é o único lugar com suficiente munição e armas para sobreviver, mas não há comida nem muito menos bebida. Há que mandar uma equipa lá rapidamente, ou então será a 1ª morte desde que começou este novo Jurassic Park! E se os enviar tenha em atenção que as últimas pessoas enviadas ao centro de visitantes não mais voltarão, e a única sobrevivente relatou que barulhos intensos e estranhos estavam a "aterrorizar" a área do Centro de Visitantes, sou estou a referir algo". Hammond respondeu : "Obrigado pelas doces palavras... e de me lembrar desse incidente, o qual fui acusado de imensa coisa... Pode sair".
O futuro de John Harnold continua sendo um grande mistério, e ainda continuará a ser a menos que Hammond mande alguém lá para verificar se ainda está vivo.


O grande carnívoro do parque acordou pior do que quando foi sedado, mas a sua raiva foi rapidamente controlada pelos rangers que disparam calmantes. Para os visitantes, era um autêntico espectáculo!


Por enquanto, a construção da futura frente do parque estava a todo o gás e já Hammond começava a imaginar-se na administração do futuramente grande parque que seria como referido anteriormente, a "8ª maravilha do mundo".


Nesse final da tarde, por volta das 18h30min, um grupo de cientistas foi liderado por Robert Muldoon às instalações genéticas do parque, no entanto, tudo era intocável, era apenas possível observar e tirar conclusões. Depois, foram levados às torres de observação para observarem o bando de T'orosaurus e o gigantesco Acrocanthosaurus. No entanto, nenhuma das informações apanhadas poderia ser divulgada no continente.


Dias depois, a construção da jaula mãe do parque estava terminada! Em breve, o Jurassic Park seria um grande sucesso. John Hammond não exitou, e criou uma revista de nome: "New Jurassic Park News". Além de andar a vender as fotos às revistas continentais, Hammond tinha fotografias inéditas na revista, bem como algum texto do que ia na sua cabeça. A foto que era cabeça de série da primeira edição era a seguinte:



John Hammond liderou toda a equipa, a um passeio pelo parque à nova jaula, onde uma espécie ainda não revelada deveria viver.

Mas, três dias depois, uma grande notícia abalou todo o Jurassic Park! Acontece que uma grande doença, conhecida como a Branca Maldita estaria para vir. Essa doença abalaria todo o continente americano, incluindo os arquipélagos das Caraíbas, Bahamas, Bermudas, e Las Cinco Muertes. Só a área da Costa Rica, Nicarágua e toda a América Central estava salva. Esta doença tinha a capacidade de devastar tudo o que usasse DNA de anfíbios ou de répteis , ou seja, todos os crocodilos, sapos ou outras espécies tinham grande probabilidade de morrer, incluindo os dinossauros!


Hammond estava deprimido, não havia nada a fazer. Era o fim do novo projecto. No entanto Dr. Alan Grant incentivou e disse: "A Isla Nublar está em má posição. As ilhas próximas ao Sitío A, ou seja à Isla Nublar estão no epicentro do crescimento desta doença. O Sítio B, ou seja, a Isla Muerta, a Isla Mataceros, a Isla Sorna, a Isla Tacanto e a Isla Pena tinham poucas probabilidades de serem atingidas, pelo que caso haja indícios de que a Isla Tacanto será atingida, o máximo que se pode fazer é rapidamente mudar os dinossauros para a Isla Mataceros, onde provavelmente nada acontecerá. O Sítio A, ou seja a Isla Nublar tem boas possibilidades de ser atingida, pelo que se quiser continuar a retirar dinossauros de lá, terá de ser rápido. Já agora posso fazer-lhe uma pergunta?"
Hammond prontamente respondeu: "Depende da pergunta"
"Porque exita em buscar dinossauros à Isla Nublar em vez de buscar à Isla Sorna?"
"Saia" - respondeu Hammond, que destroçado não tinha qualquer intenção de responder a alguma pergunta. De imediato a reacção de Hammond foi dar um murro na mesa pronunciando: "Damn". 


Entretanto, Sarah Harding, que tem a função de observar, estudar e fotografar dinossauros, apanhara esta imagem desde o helicóptero da INGEN - helicóptero que está sempre disponível para qualquer uso: 


De imediato, John Hammond dirigira-se para a área dos comandos de todo o parque, perto do centro de visitantes, pois queria saber se a incubadora já estava pronta. Chegado lá, Robert Muldoon respondeu que sim e que os embriões já estavam em crescimento no berçário. 
Depois, Hammond perguntou se era possível ver o mapa da Isla Nublar a partir de lá. 
"Provavelmente. Esta tecnologia foi adaptada desde a tecnologia presente na Isla Nublar, vale a pena tentar. Mas porquê? Acha que pode ver Harnold a partir de aqui?" - disse Muldoon, acrescentando segundos depois: "Infelizmente não é possível, só está adaptada ao parque.


No dia seguinte, havia uma nova espécie no parque! De seu nome: Gallimimus. Hammond estava contentíssimo, mas decidiu não contar nada ao resto do pessoal do parque (Dra. Ellie Sattler, Dr. Alan Grant, Dr. Ian Malcolm e Dra. Sarah Harding, os que não estiveram envolvidos na criação dos Gallimimus), pois queria que descobrissem por si mesmos. 
Eram cerca de 15h. Hammond é informado que Dr. Alan Grant tinha informações novas acercá da Maldita Branca, e mandou-o entrar. Grant rapidamente disse:
"Bem, há novas informações acerca dessa doença. Assemelha-se à Peste Negra, que aconteceu na Europa nos primeiros séculos depois de cristo, e, parece que esta não é tão mortal. O que pode causar é : Mudança de cor na pele dos dinossauros, sendo que por exemplo, há boa possibilidade dos Torosaurus se tornarem castanhos, ou do Acrocanthosaurus se tornar de outra cor e ter outras texturas na pele, no entanto quanto a mortalidade, os seres menos resistentes darão o último suspiro neste mundo, enquanto os mais fortes, como os dinossauros de grande porte, poderão ter o seu ciclo de vida reduzido em apenas 5 dias".
"Quer café?" - Disse Hammond felicitando Grant pela descoberta.



Hammond prontamente chamou o grupo de pessoas que não está envolvido na manutenção, gerência e segurança do parque, ou seja mandou chamar Dra. Ellie Sattler, Dr. Alan Grant, Dr. Ian Malcolm e Dra. Sarah Harding. Iam ser liderados e mandados à Isla Nublar, o Sítio A, liderados por Robert Muldoon. No entanto, não iam só à Isla Nublar! O grupo foi dividido em dois. Mandou chamar Eddie. E então ficaram dois grupos com três elementos: o Grupo A, e o Grupo B. Os nomes eram bem claros e indicavam para onde iam ir! O Grupo A, composto por Dr. Alan Grant, Dra. Ellie Sattler e Robert Muldoon iam dar uma pequena olhadela na Isla Nublar, cuidadosamente, para ver se conseguem resgatar John Harnold com vida. O Grupo B, composto por Eddie, Dr. Ian Malcolm e Dr. Sarah Harding iria ser enviado para as outras 4 ilhas que formavam o Sítio B. Ou seja, seriam enviados à Isla Mataceros, para estudar as condições atmosféricas, e para ver se era possível haver vida pré-histórica lá, iriam também à Isla Pena fazer a mesma coisa. A Isla Muerta estava fora de opção. Além dessas ilhas, a Isla Sorna seria também visitada para estudar dinossauros. Hammond sabia que a Maldita Branca chegaria em 23 dias, por isso, tinha previsto que o Grupo A regressasse dentro de 5 dias, pois foram mandados só para uma pequena visão. O Grupo B deveria regressar dentro de 2 meses. Hammond enviaria comida e bebida de sobra para o Grupo B, onde 2 helicópteros da INGEN deveriam aterrar na Isla Pena, a cada 3 dias, e ter a Isla Pena como base nas operações. Ao Grupo A, só serão enviados 2 carregamentos com comidas e bebidas no dia 3. Pois para os outros dias tinham comida e bebida de sobra. 
Então, Hammond livremente decidiu subir a montanha principal do parque para ver as vistas, e sentar-se no topo e pensar no próximo projecto para o parque. Interessante seria, se não lhe viesse alguma ideia louca.

Vista de Hammond enquanto subia a montanha

Vista de Hammond enquanto subia a montanha que mostra a jaula dos Gallimimus completamente evoluída, já com o alimentador e com o Viewing Dome 1 construídos.
Hammond, sempre acompanhado de mapa, viu como estava o mapa do parque actualmente e esta era a vista.
 Pensando na fortuna imediata que podia ganhar, John Hammond começou a pensar em projectos. E no seu bloco de notas, o qual estava sempre acompanhado escreveu 3 opções que devem estar completas antes que os dois grupos cheguem de volta:


Opção 1 - Trazer um Tyrannosaurus Rex desde a Isla Nublar antes que a Maldita Branca chegue, de forma a ganhar dinheiro mais rapidamente
Opção 2 - Trazer dinossauros conhecidos como Velociraptor, Brachiosaurus ou Triceratops para a ilha antes que o Grupo A venha.
Opção 3 - Colocar um grande bando de Dryosaurus na jaula gémea que já estava a sair do papel, ao lado da jaula dos Gallimimus.


No entanto, ainda haviam outras 3 opções, desta vez, 3 opções para fazer ao parque sem ter pressas:


Opção 1 - Trazer para a ilha várias espécies de Hadrosaurus e algumas espécies de Saurópodes.
Opção 2 - Trazer para a ilha 3 diniossauros que não estão na lista da INGEN


Cerca das 19h, Gennaro é chamado ao escritório de Hammond e Hammond informa que ele fará parte do Grupo C: ele só! Ele visitará a mina "Mano de Dios" na Costa Rica, para fins desconhecidos.


No dia seguinte: Dia 1. Hammond, sem nada que fazer no parque, decide agarrar uma máquina fotográfica e subir ao helicóptero da INGEN. Hammond estava louco!






Essas são algumas das imagens apanhadas. Hammond estava realmente ficando louco! Hammond pediu ao condutor do helicóptero que se afaste da Isla Tacanto em cerca de 3 milhas (4 828,032 metros, ou seja aproximadamente 4,8 quilometros), não se sabe porquê, calcula-se que Hammond foi digamos que estudar as condições atmosféricas em volta da ilha.

Hammond apanhou algumas fotos e rapidamente as levou ao observatório do parque. Hammond, que praticamente tinha de fazer tudo sozinho, já que os habituais John Harnold e Robert Muldoon não estavam, e que Dr. Alan Grant, Dra. Ellie Sattler, Dr. Donald Gennaro, Robert Muldoon, Dr. Ian Malcolm, Dra. Sarah Harding, Dr. Eddie Carr e o resto do pessoal mais conhecido e próximo havia partido para outras ilhas. Então, durante esses momentos, Hammond teve a ideia de chamar Nick Van Owen para substituir Sarah Harding na captura de fotos, já que Owen também era jornalista fotógrafo.


Peter Ludlow, esperava pacientemente Hammond no escritório, sentado na cadeira de Hammond, no entanto John Hammond não faz a mínima ideia de que o seu sobrinho está lá.
Hammond, por outro lado, chegado ao observatório do parque, decidiu verificar a atmosfera que envolve a ilha, entregou a um cientista, muito conhecido por ele, especializado em coisas relacionadas com a atmosfera. Rapidamente, pôde-se concluir, que a Isla Tacanto seria extremamente afectada pela Maldita Branca. Hammond desanimou. 


Peter Ludlow. Fazia  planos para roubar o lugar a Hammond, como sempre desejou. Mas por enquanto, Hammond entrava no seu escritório, deparou-se com Ludlow, que afirmara "só querer falar".


A conversa não durou mais de 5 minutos, já que Hammond, rapidamente, tratou do caso...
Durante o dia 1, na Isla Tacanto, nada aconteceu. Mas e nas outras?


Grupo A


07h15min, o Grupo A, enviado à Isla Nublar para procurar por John Harnold, decide finalmente desembarcar na ilha. Ao desembarcar na ilha, Robert Muldoon sugeriu que se desembarcasse na linha da costa, já que seria muito mais fácil de explorar toda a ilha do que se desembarcassem directamente perto da área das cercas, já que essa área deve estar cheia de predadores, e as cercas "já não servem de nada" - disse Robert Muldoon, afirmando que na primeira vez que veio à Isla Nublar, era frequente avistar animais fora das suas áreas. "Desembarquemos na área norte, onde me parece que é menos habitada por animais, e também é mais próximo de onde estão os edifícios, onde o John pode estar" - disse continuadamente.


 Algo aconteceu ao Grupo B, mas o quê? 


No próximo capítulo: 


 - Descubra o que vai acontecer à Isla Tacanto, quando a onda de calor está a uma semana de embater na ilha!
 - Descubra o que aconteceu ao Grupo B!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Hydrotherosaurus

Apesar de ter um nome terminado em "Saurus", o Hydrotherosaurus não se tratava de um dinossauro, mas sim de um réptil, um parente dos dinossauros, que vivia nas águas. O Hydrotherosaurus é um membro da família dos  plesiossauros, mais precisamente pertencente à classe dos elasmossauros. O nome Hydrotherosaurus alexandrae significa "Lagarto terrível da água". Podia medir até 13 metros de comprimento, e viveu no final do período Cretáceo.
Em 1943, descoberto por Samuel Paul Welles, pensava tratar-se de um Elasmosaurus, e então, poderia ser que Elasmosaurus vivessem nos mares da Califórnia, no entanto, um grande e profundo estudo sobre os hábitos de vida deste espécimen, viria a dar-lhe o nome de Hydrotherosaurus. Nesse dia, foi descoberto o esqueleto completo deste dinossauro, tendo sido uma das maiores descobertas dessa década. Junto com as ossadas, estava a última "refeição"... Gastrólitos, que já foram explicados em outras mensagens: eram pequenas "pedras" que ajudavam a digerir as refeições, no entanto, parece que o Hydrotherosaurus as comia para conseguir pesar mais, e poder afundar-se mais facilmente, para que pudesse chegar ao fundo do oceano, onde se encontrava a comida.


Ainda existem poucas informações sobre este réptil marinho, pois só foi descoberto o primeiro fóssil, e nada depois disso, mas sabe-se que o longo pescoço oferecia uma vantagem em relação às presas que o Hydrotherosaurus caçava, pois está claro, como a maioria dos répteis marinhos, este réptil não era herbívoro, mas essa além dessa vantagem, o pescoço também trazia desvantagens. Fazia o dinossauro mais lento, e mais vulnerável aos ataques dos mosassauros e dos tubarões que em volta viviam. Um estudo acerca dos últimos plesiossauros demonstra que as suas dimensões e as suas constantes adaptações ao meio aquático poderão ser prova que estavam sobre um tipo de "stress evolucionário". Provavelmente, os plesiossauros desapareceram à medida que os tubarões modernos apareciam.


Ficha técnica:

Nome: Hydrotherosaurus
Data: -65 milhões de anos (Cretáceo Superior)
Jazidas de fósseis: América - Califórnia (México)
Comprimento: 13 metros
Dieta: Peixes, outros répteis mais pequenos
Habitat: Mares profundos

domingo, 16 de outubro de 2011

Carnotaurus

O Carnotaurus foi um género de Abelissaurídeo que viveu principalmente na zona onde hoje é a Argentina, mais precisamente na Patagonia. O nome Carnotaurus sastrei significa "touro comedor de carne" ou "touro carnívoro".  O Carnotaurus poderia medir em torno de 8 metros de comprimento, 3 metros de altura e podia pesar entre 1488 kg, 2626 kg ou até mesmo uma tonelada. O Carnotaurus apesar de ser um Abelissaurídeo, era parecido com o Aucasaurus (Abelissaurídeo conhecido) e com o Allosaurus (Allosaurídeo mais conhecido do mundo). Pelo que se considera que era um parente afastado do Allosaurus e poderia tratar-se da evolução do Allosaurus. Mas era pouco provável visto o Carnotaurus ser um Abelissaurídeo e não um Allosaurídeo.

Encontrado na formação da La Patagonia, é sabido que um dinossauro herbívoro da família dos Saurópodes, de nome Chubutisaurus, vivia no mesmo lugar, pelo que se pensa que este herbívoro, cerca de 3 vezes menor que um Carnotaurus era a principal presa do temido terópode. O Carnotaurus tem como principal característica os seus chifres, normalmente presentes em herbívoros, bem como as suas pequenas "mãos", ou seja, as patas anteriores, tal como presente nos Abelissaurídeos.

Viveu no final do período cretáceo entre 71 a 65 milhões de anos atrás, e foi um dos dinossauros a aguentar até o fim da era mesozóica, quando o suposto meteoro acabou com tudo, há cerca de 65 milhões de anos atrás.


O Carnotaurus é conhecido como tendo também, um comprimento "falso", visto quase de seu comprimento ser ocupado pela sua gigante cauda.
O Carnotaurus é pertencente de uma marca incrível, desta feita, nos seus fósseis. Foram encontrados fósseis de Carnotaurus com restos de pele do dinossauro carnívoro, descoberta muito rara. Foi uma das maiores descobertas de pele de dinossauros, senão a maior mesmo.
Archivo:CArno1.JPGCom a descoberta do Carnotaurus e do Abelisaurus, quase ao mesmo tempo, levou os cientistas a crerem numa existência de espécies de dinossauros que até a data não eram classificados devidamente: os Abelissaurídeos, dinossauros da família "Abelisauridae". Estas duas descobertas levaram à reclassificação de muitos dinossauros carnívoros que já tinham sido descobertos e classificados como outras espécies, nomeadamente, classificados como Allosaurídeos e Carcharadontossaurídeos. O Carnotaurus foi descoberto em 1985 por Joseph Bonaparte. Foi encontrado o esqueleto quase completo deste dinossauro, e como já foi afirmado, marcas de pele, que cobriam quase todo o costado direito.

Como referido, apesar de parecido com o Allosaurus, praticamente só se parece em termos de corpo, robustidade, o Carnotaurus é mesmo ainda mais parecido com dinossauros da mesma família, como por exemplo Aucasaurus (Argentina), que provavelmente viveu juntamente com o Carnotaurus, Majungasaurus (Madagascar) e Rajasaurus (India).

File:Carnotaurus Skull.jpg

Após terem sido analisadas devidamente, foi descoberto que as mordidas de um Carnotaurus poderiam ser extremamente rápidas, mas não muito fortes, mas ainda suficientes para ferir gravemente, ou matar, qualquer dinossauro. Foi descoberto também que o Carnotaurus tinha provavelmente, penas, ao contrário da maioria dos grandes terópodes e dos mais recentes carnívoros...

No entanto, recentes estudos confirmaram que o Carnotaurus era mais rápido e mortífero do que se pensa, era um dos mais rápidos predadores do seu tempo, devido à um músculo em particular, pois um exame detalhado dos ossos da cauda do Carnotaurus mostrou que seu músculo caudofemoralis possuía um tendão que se unia aos ossos da coxa. A flexão deste esquema muscular das pernas para trás conferia ao Carnotaurus mais potência e velocidade em cada passo. Esta espécie de dinossauro possuía o maior músculo caudofemoralis de todos os animais conhecidos, vivos ou extintos.

Também foram descobertos alguns restos de Carnotaurus em uma formação do Perú.


File:Carnotaurus DB 2.jpg
Na cultura popular, o Carnotaurus sastrei apareceu no filme "Dinossauro" da Walt Disney, mas com dimensões exageradas, pois na verdade o Carnotaurus tinha um tamanho similar com o do Iguanodon. No filme aparece sendo algo maior que o Iguanodon. Calcula-se que o par de Carnotaurus do filme teria dimensões similares às dimensões reais de um Tyrannosaurus Rex, ou seja, em termos de comprimento, cerca de 5 metros maiores... Além disso, é citado na novela de Michael Crichton, em Mundo Perdido, e aparece em alguns produtos durante os filmes, mas nos filmes nunca apareceu realmente como apareceram dinossauros como Tyrannosaurus Rex, ou Velociraptores, infelizmente. Pode ser que apareça pessoalmente no Jurassic Park 4, o já confimado e tão esperado filme.




Ficha técnica:

Nome: Carnotaurus
Data: -71 até -65 milhões de anos
Jazidas de fósseis: América do Sul (Argentina e Perú)
Comprimento: 8 m
Dieta: Carne
Habitat: Planaltos

domingo, 9 de outubro de 2011

Suchomimus

O Suchomimus foi um grande dinossauro, da família denominada de "Spinosauridae". Este dinossauro era maioritariamente piscívoro (ou seja, na maioria das vezes, alimentava-se de peixes). Existem algumas descobertas que indicam que este dinossauro andava à volta de 11 metros de comprimento, mas alguns cientistas acreditam que em alguns casos, um Suchomimus poderia crescer até 12 metros de comprimento, podendo assim, aproximar-se do comprimento do famoso Tyrannosaurus Rex (13 metros). De altura media à volta de 3,7 metros.

O nome Suchomimus tenerensis significa "imitação de crocodilo". Com um peso entre 2.7 a 4.8 toneladas o Suchomimus era sem duvida alguma, um dinossauro assustador. Alguns cientistas acreditam que o Suchomimus pode ter sido um sinónimo de um outro conhecido membro da família dos Espinossaurídeos, o Baryonyx, pois ambos tem muitas parecenças em comum. Também pode ter sido sinónimo de um outro Espinossaurídeo - Cristatusaurus.

Um Suchomimus tenerensis apanhando um pequeno tubarão
O Suchomimus tenerensis viveu no Médio Cretáceo, entre 121 a 112 milhões de anos atrás (Durante o sub-período chamado de "Aptian", pertencente ao período Cretáceo), ou seja, tendo dominado os Espinossaurídeos durante 9 milhões de anos. Curiosamente, o conhecido Spinosaurus Aegyptiacus apareceu no milhão de anos em que o Suchomimus foi extinto(o Spinosaurus viveu entre 112-97 milhões de anos) e por isso, alguns cientistas acreditam que o Spinosaurus pode ter sido o causador da extinção do Suchomimus. O Suchomimus pode ter tido também como alimentação ocasional, pequenos pedaços de carne.
File:Suchomimus2.jpg

Ao contrário da maioria dos grandes predadores, o Suchomimus tinha uns maxilares longos, possuintes de cerca de 100 dentes. Este dinossauro é visto quase como um "antepassado" dos crocodilos actuais, visto ter muitas semelhanças.
Tal como o Spinosaurus, o Suchomimus também tinha uma vela dorsal, apesar de essa vela não ser visível nas duas fotos acima, no entanto não era uma vela tão grande quanto a do Spinosaurus, seu parente próximo, mas sim uma pequena vela dorsal, que pode ter servido para impressionar outros machos, ou para regular a temperatura corporal quando à exposição solar. Durante o seu tempo de vida, que já foi referido, o Suchomimus era um dos maiores dinossauros carnívoros existentes no mundo, tendo sido o maior Espinossaurídeo da época (Ainda na realidade, o Suchomimus é o segundo maior Espinossaurídeo, apenas menor que o Spinosaurus Aegyptiacus).

Photobucket

O Suchomimus viveu no que é actualmente, o deserto Saara, quando esse deserto ainda era um local muito húmido, um habitat pantanoso.

Photobucket
Este dinossauro foi descoberto em 1998, tendo sido considerado a maior descoberta do ano de 98, pois foi descoberto 85% do esqueleto completo do dinossauro, isto foi mais que suficiente para reconstruir o esqueleto do dinossauro e perceber melhor de que espécie se tratava e estudar o esqueleto, para tentar perceber que hábitos tinha.




Ficheiro:Spinosauridscale.png
Comparação entre os 4 mais conhecidos Espinossaurídeos

Ficha técnica:

Nome: Suchomimus
Data: -121 milhões de anos (Cretáceo)
Jazidas de Fósseis: Norte de África
Comprimento: 11 metros
Dieta: Peixes e ocasionalmente carne
Habitat: Pântanos